Um dos maiores atores do dia a dia brasileiro cotidiano é o SPC. Uma empresa destinada a proteger o crédito, e por consequência, o mercado, os SPC Brasil mantém o que é hoje um dos bancos de dados mais utilizados no país. CONHEÇA A EMPRESA SPC BRASIL para saber mais sobre o seu papel na sociedade e como ela e seus serviços podem te auxiliar nas suas atividades profissionais e mesmo para saber mais sobre como sair do cadastro da empresa.

 

A história do SPC Brasil

Em 14 de Julho de 1955, a Associação Comercial de São Paulo criou o primeiro serviço de proteção ao crédito disponível ao Brasil, com o objetivo de centralizar as informações sobre crédito.

Esse serviço evoluiu muito com o passar dos anos e hoje é um dos mais reconhecidos bancos de dados de consumidores inadimplentes da América Latina, com dados específicos sobre recorrência de dívidas e sobre o tempo da inadimplência.

Ainda mantido por lojistas, o SPC não costuma cadastrar aqueles que devem a bancos e instituições financeiras, pois essas entidades geralmente utilizam os serviços do Serasa.

 

SPC PROTEÇÃO DE CRÉDITO

A atuação principal do SPC é a proteção do crédito.

E ela cumpre essa atividade através de uma plataforma centralizada, destinada a demarcar os devedores.

Contrariamente ao estilo de trabalho do SPC, o SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) foi criado pela empresa Boa Vista Serviços, visando cadastrar os consumidores adimplentes, que possuem o hábito de pagar suas dívidas em dia.

Assim, surge uma diferenciação do serviço do SPC, pois embora ao longo dos anos seja notável que o mais influente fator à concessão de crédito seja, de fato, a inclusão do consumidor no cadastro do SPC, a nova realidade com a possibilidade de se mostrar diante do SCPC traz a tona a possibilidade de conseguir melhores oportunidades de negócios para os adimplentes.

O SPC mostra sua atuação ao trabalhar tanto com o cadastro de Pessoas Físicas quanto o de Pessoas Jurídicas.

Atividades secundárias do SPC Brasil 

O SPC também aproveita a sua enorme base de dados para realizar diversas pesquisas sociológicas.

Essas geralmente objetivam determinar padrões como o percentual de dívidas sendo quitadas ao longo do território nacional, o aumento ou diminuição da taxa de inadimplência e mesmo as mudanças no tempo em que as dívidas estão sendo pagas.

 

Algumas controvérsias passaram a chamar a atenção quanto ao SPC, pois em diversas ocasiões foram notados vazamentos de dados de clientes negativados no SPC.

Essa vendo aconteceu por muitas vezes, e o Ministério Público entrou com uma ação pública contra essa atividade. O SPC se defendeu dizendo que os telefones são facilmente encontrados em páginas amarelas e que os dados podem ser encontrados em buscas pela internet e nas redes sociais.

Mas em 02 de Setembro de 2015 o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul noticiou a decisão judicial do pleito do MP, multando o SPC em R$ 70 mil por violar a privacidade e o sigilo dos dados dos clientes negativados, proibindo novas comercializações de informações desse tipo.